R. Rodrigues de Sampaio,146 -1ºEsq . 1150-005 Lisboa.
(+351) 917 820 555 / 213 544 366
Segunda-feira a Sexta-feira - 8h00 às 19h30.

Implantologia avançada – Implantes zigomáticos

Implantes Zigomáticos

Nos casos em que há uma grande atrofia do osso maxilar não é possível a colocação de implantes osteointegrados convencionais. Há, no entanto, uma técnica cirúrgica que permite, num único procedimento,  a utilização do osso zigomático para a colocação de implantes,  que permitirá uma reabilitação imediata com próteses totais fixas. A esta técnica se dá o nome de  implantes zigomáticos, exigindo do profissional um conhecimento profundo da área anatómica envolvida,  das especificidades técnicas do procedimento, bem como uma vasta experiência cirúrgica. Na Clínica Maxfac, os implantes zigomáticos são colocados pela equipa de Cirurgiões Maxilofaciais, composta pelos Drs Óscar Prim da Costa e David Pratas Vital, e a reabilitação protética é feita pelo coordenador da Medicina Dentária, Dr. João Fryxell Duarte, Assim privilegiamos e respeitamos, uma regra absoluta da Maxfac, a especificidade e colaboração estrita entre especialidades.

Uma dentição completa e alinhada é essencial para uma boa saúde oral. Os dentes devem funcionar em conjunto de forma harmoniosa.
A perda de um ou mais dentes pode causar uma série de problemas se não forem substituídos, condicionando a estética, a fonética e a mastigação. Quando um dente se encontra em falta, os dentes adjacentes saudáveis, tendem a mudar de posição inclinando para esse espaço e os oponentes que não tem contacto, tendem a extruir . Essa zona desdentada, vai apresentando perdas ósseas significativas, por não ter estímulo dentário, ficando uma zona mais frágil.
Esta situação vai afectar a forma como se aplica a pressão sobre os dentes durante a mastigação, podendo ter um impacto muito negativo nos músculos e articulação mandibular.

Implantes dentários

Os implantes dentários são a melhor solução para a substituição dos dentes naturais, podem substituir um ou mais dentes. São constituídos por um cilindro ou cone de titânio que é colocado no osso após preparação cuidadosa do mesmo e que servem de suporte para coroas unitárias ou próteses dentárias (com vários dentes).
Inicialmente é realizada uma consulta de avaliação. Depois, é feito um diagnóstico e estabelecido um plano de tratamento adequado.
O processo de colocação de implantes dentários é realizado numa só consulta (mesmo quando são feitos múltiplos implantes) e utilizada apenas anestesia local.
Depois desta fase cirúrgica segue-se a fase protética, onde se vai colocar a coroa ou prótese sobre os implantes. Esta pode ser realizada logo no mesmo dia da colocação dos implantes ou noutros casos cerca de 3 a 6 meses após a cirurgia, quando os implantes já estão osteointegrados.
A reabilitação sobre implantes pode ser feita com coroas ou pontes, que são cimentadas ou aparafusadas ao pilar do implante e que simulam um dente verdadeiro.
No caso de reabilitações em desdentados totais, as próteses vão encaixar como um todo nos múltiplos implantes. Estas podem ser fixas ou removíveis.
A colocação do implante é um processo cirúrgico simples, mas que exige uma planificação cuidada.